quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Os bregas também viajam - II

Falando com as amigas viajantes como a Carol, lembramos de mais coisas que são bregas nas viagens. É que a viagem tem fim, mas a breguice não, minha gente! E o povo sempre dá um jeito de exibir sua breguice pelo mundo. Então vamos lá:

 - Tirar foto ao lado de carrões - ah, já fiz isso na vida porque eu era apenas uma adolescente fanática por carros. Mas nego que tira foto do lado de um Ferrari que estava estacionada na rua e coloca a foto no orkut dizendo algo do tipo "meu carrinho rsrsrsrs"... é de doer. Tanto quanto...

- Usar os brindes dados pela agência de viagens - aquela malinha branca da CVC rodando na esteira de bagagens é uma imagem triste. Um grupo de pessoas das mais diversas idades de camiseta e boné laranja seguindo uma senhora segurando uma bandeirinha ou um guarda-chuva como se fosse uma tocha, também. Você compra um pacote, com sorte ganha algum brindezinho brega. Tá. Mas não precisa usá-lo, né? Assim como não precisa mais...

- Comprar moletom da Hard Rock - era legal até a metade da década de 90, quando a Stella Barros levava hordas de adolescentes pra Orlando e Miami. Ou você foi ou conhece alguém que foi e te trouxe. Você tinha, né? Eu sei. Ah, e tinha o do Planet Hollywood também.  Mas hoje em dia, quem compra -  e usa - isso? Os bregas, claro. Os mesmo que adoram...

- Posar pra foto com o monumento "na mão" - é aquele babaca que tira foto "segurando" a torre de Pisa ou com a torre Eiffel "na palma da mão", aproveitando-se dos efeitos ópticos que a distância entre os elementos causa. Pior é presenciar alguém posando pra uma foto dessa, enquanto o fotógrafo fica gritando "mais pra direeeeita! Pouquinho maaaais! Aí, aí!!! Ah não, outra! Vai". E o babaca tentando manter o sorriso. Mas o sorriso dele vai ser mais sincero quando ele...

- Se deslumbrar com o free shop - Brega adooora um free shop. Esses dias uma amiga minha tava contando que uma vez ouviu uma menina ao celular falando assim: "mãããeee, você não tá entendendo, tô numa loja no aeroporto chamada frichópi, cheeeeeia de perfume, bebida...". O free shop tem um aura mágica pro povo, principalmente pra mulherada. É olhar pra um e elas ficam praticamente hipnotizadas, saem correndo, ás vezes até deixam a mala lá rodando na esteira só pra encher o carrinho de sombra colorida da MAC e body splash de baunilha da Victoria Secret´s. Eu sei, você curte um free shop. Eu também. Mas quem não é (tão) brega já não entra em polvorosa cada vez que vai a um. E já não compra mais tanto body splash da Victoria Secret´s!

4 comentários:

  1. ADOROOOOOOOOOOOOOO UM FRICHÓPI RSRSRSRRS

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Nadjia, muito bom levantar essa questão!!! hahaha Tem algumas breguices mais: tirar foto de quadro de museu... é o ó!!!! Tirar foto da janela do avião, tirar foto enquanto o ônibus ou carro está em movimento... fora aquelas fotos de braços para cima, como se tivessem chegado ao topo do Everest! Aliás, nada mais bregua que turista e como nós adoramos turistar!!!!

    ResponderExcluir
  3. Hahaha "frichópi" para mim tem uma utilidade fundamental: me abastecer com algum chocolate bacana caso o voo atrase. E tb observo antropologicamente os clientes. da última vez vi e ouvi da cliente para a vendedora: "Moça, cadê osproduto em promoção???" hahaha.

    ResponderExcluir

Desembucha!